top of page
Buscar
  • Foto do escritorEmerson Feitosa

Estamos mais próximos do fim


A apóstolo Pedro a dois milênios escreveu a igreja de Jesus dizendo: “Ora, já está próximo o fim de todas as coisas.” (2 Pedro 4:7) Sua mensagem é atualíssima, é como se hoje pudéssemos ouvir sua voz nos alertando, convidando a despertarmos e nos mantermos convictos de nossa aliança com o Salvador. O fim está próximo, é claro que essa frase nos assusta, mas em momento algum a sua expressão nos impõe data, embora a palavra “próximo” queira indicar um tempo curto, entretanto, o que pesa é justamente o fator tempo. E mediante a esperança da eternidade, almejamos que o fim esteja próximo, mesmo que não saibamos o quanto há de demorar. A premissa é que saibamos que o mundo vai de mal a pior, e a cada dia apresenta mais e mais os sinais do juízo Divino sobre as pessoas que corrompidas pelo pecado e que rejeitam o perdão de Deus mediante a graça salvadora de Jesus. Então o fim está próximo, não sob a perspectiva da vida humana, mas sim na perspectiva Divina, em “próximo” pode significar amanhã, visto que para Deus um dia é como mil anos, e um milênio como um dia, logo, realmente para Ele está próximo o fim da corrupção moral e espiritual da humanidade.

Jesus disse que inúmeros sinais indicariam a progressão do início do fim[1]. Isto é, através dos muitos sinais sociológicos, cosmológico, geológicos, psicológicos[2] e espirituais poderiam perceber o funil da vida nos empurrada para a parte mais fina. Como encurralados não podemos escapar dos juízos vindouros que compõe o princípio de dores, seja pelas enfermidades ou pelas atrocidades humanas como guerras, assassinatos, abortos cruéis, corrupção moral e degradação social. Isso posto, afirmamos ser testemunhas dos grandes sinais que nos cercam, seja guerras diversas, Congo, Etiópia, Sudão, Iêmen, e recentemente Ucrânia e Rússia, mortandade e crueldade sem fim. Também observamos admirados do avanço da agenda da morte, que busca desconstruir os princípios e valores exalados por Deus na humanidade, irrompendo-se contra a moralidade, a liberdade, a seriedade, o compromisso, enfatizando ao invés disso, o divórcio, aborto, homossexualidade, promiscuidade, ideologia de gênero etc. Destruindo os valores judaico cristão, derrubarão a família tradicional, levando a humanidade a perverter-se em suas paixões mundanas e mergulharem nos atos de injustiça, embora saibam que esses um dia serão julgados.

Por isso afirma Pedro, “O fim está próximo” e nos convida a observar um “modus vivendi” que identifique como servos de Jesus, e nos aconselha a vivermos como tal. Seus conselhos nos levam a perceber que de simples que são, se tornam marcas implacáveis daqueles que desejam viver a imagem de seu Filho Jesus em nós. E nos ensina a viver de maneira sóbria, isto é, conscientes. Conscientes, sem que nada nos roube a lucidez, nos distraia dos propósitos do céu, conscientes de nossa dependência de Deus, de nossa aliança com Jesus. Mas também nos exorta a nos mantermos vigilantes e em constante oração. Significa dizer que não podemos dormir, nem nos acomodar aos conselhos do mundo, mas vigilantes em nossos relacionamentos, onde passamos, onde vivemos, com quem conversamos ou o que conversamos. Vigilantes para não perdermos a oportunidade de viver em Cristo, em um relacionamento sério com o Pai através de um diálogo que nunca encerra, diálogo esse conhecido como oração[3].

Por fim nos leva a compreender que a única maneira de vivermos em meio as dores dessa vida é através da prática de um amor ardente e profundo uns pelos outros. Isto parte do princípio de cuidar, proteger, servir e se importar. Essa é a marca da igreja que vencerá os dias maus. Em um mundo de ódio, não se fará diferente se não vivermos por amor, servirmos por amor, andarmos em amor. Não falo de pôr amor, aceitar o modo pecaminoso de viver de muitas pessoas, mas sim amar a elas e por isso não lhes negar a verdade. É a isso que nos convida o apostolo Pedro, servir por amor as pessoas, se importar com o destino delas, nos movermos em nossos dons e talentos para assim vivermos glorificando a Deus em toda a nossa maneira de viver. Sirvamos a Deus com integridade e dedicação de coração sabendo que nosso trabalho não é vão no Senhor[4].


[1] Mateus 24:1-14 [2] Lucas 21:25,26 [3] 1 Tessalonicenses 5:17 [4] 1 Coríntios 15:58

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page